Início > Uncategorized > Como monitorar e-mails do GMail?

Como monitorar e-mails do GMail?

O GMail, da Google, utiliza do método AJAX (Asynchronous Javascript and XML) para exibição de mensagens e associação das respostas, permitindo uma utilização mais fácil e rápida. Neste modelo de programação do JavaScript, não é toda a página que será carregada, mas apenas a parte que foi alterada. E o mais interessante é quando ele agrupa a mensagem de e-mail inicial com todas as respostas enviadas, muito útil para a utilização em grupos de discussão.
Entretanto, ao contrário do Yahoo!, o serviço não salva páginas HTM (ou até XML) comuns no seu computador, somente páginas criptografadas, resultado dos comandos AJAX executados. Portanto o que você tem não é um HTML comum, mas apenas o resultado de uma pesquisa.
Desta forma, quando você acessar os arquivos temporários do IE em seu computador, encontrará arquivos como gmail[18] em pastas temporárias – Documents and SettingsusuarioConfigurações locaisTemporary Internet FilesContent.IE52N67IJ0X.
Exemplo do conteúdo do arquivo:
var agt = navigator.userAgent.toLowerCase(); var is_op = (agt.indexOf("opera") != -1); var is_ie = (agt.indexOf("msie") != -1) && document.all && !is_op; var is_ie5 = (agt.indexOf("msie 5") != -1) && document.all && !is_op; var is_mac = (agt.indexOf("mac") != -1); var is_gk = (agt.indexOf("gecko") != -1); var is_sf = (agt.indexOf("safari") != -1); function bs() { if (is_ie && !is_op && !is_mac) { if (agt.indexOf("palmsource") != -1 || agt.indexOf("regking") != -1 || agt.indexOf("windows ce") != -1 || agt.indexOf("j2me") != -1 || agt.indexOf("avantgo") != -1 || agt.indexOf(" stb") != -1) { return false; } var v = gff(agt, "msie "); if (v != null) { return (v >= 5.5); } } if (is_gk && !is_sf) { var v = gff(agt, "rv:"); if (v != null) { return (v >= 1.4); } else { v = gff(agt, "galeon/"); if (v != null) { return (v >= 1.3); } } } if (is_sf) { var v = gff(agt, "applewebkit/"); if (v != null) { return (v >= 124); } } if (is_op) { // Could have "Opera 8.0" or "Opera/8.0". var v = gff(agt, "opera "); if (v == null) { v = gff(agt, "opera/"); } if (v != null) { return (v >= 8.0); } } return false; } function gff(str, pfx) { var i = str.indexOf(pfx); if (i != -1) { var v = parseFloat(str.substring(i + pfx.length)); if (!isNaN(v)) { return v; } } return null; } var is_browser_supported = bs(); var tz_path = ‘;path=/’; if (top.location.href.toLowerCase().indexOf(‘google.com’) > 0) { tz_path += ‘;domain=.google.com’; } document.cookie = "TZ=" + (new Date()).getTimezoneOffset() + tz_path;
 
Conclusão: as mensagens do GMail não são arquivos comuns como de outros webmails, e portanto o processo de monitoramento local é praticamente impossível. Mas como para tudo existe uma solução, podemos efetuar o monitoramento das cópias temporárias armazenadas nos servidores que encaminharam a mensagem até o nosso computador. Este monitoramento precisa ser rápido, pois sendo arquivos temporários, eles podem ser sobreescritos por novos arquivos a qualquer momento.
As páginas do GMail, assim como as páginas do Orkut, na verdade são resultados de comandos AJAX. E por este motivo também, é praticamente impossível identificar quem postou ‘anônimo’ na sua comunidade. Basta salvar a página HTML do Orkut e editar pelo Bloco de Notas para confirmar esta observação.
Categorias:Uncategorized
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: